• contato@biosaprova.com.br
  • Seg a sex 7h - 22h | S√°b 7h - 17h

Dicas para interpretar tirinhas e charges no vestibular

Tirinhas e charges s√£o textos de natureza humor√≠stica que mobilizam elementos verbais e n√£o-verbais para construir uma cr√≠tica sobre determinado tema. Na charge, √© comum que esse tema seja mais contempor√Ęneo e atual ‚Äď relacionado a algum evento social ou pol√≠tico pontual -, enquanto, na tirinha, costuma-se tratar de assuntos existenciais mais amplos.

No universo dos vestibulares, as bancas normalmente questionam o que desencadeia o efeito de humor (ou ""a graça"") do texto. Para tornar essa tarefa mais fácil, aí vão algumas dicas:

Não tente "achar a graça"
Considerar um texto ""engraçado"" está muito atrelado à subjetividade, já que tal ação depende, muitas vezes, da visão de mundo, da situação de comunicação e das referências culturais e afetivas do leitor. As diferenças de senso de humor de cada um são a maior prova disso. Portanto, não é possível depender de algo tão subjetivo para acertar uma questão de prova. Deve-se buscar no humor elementos linguísticos mais concretos.

Em vez de procurar a "graça" do texto, procure a "quebra de expectativa"
Em tirinhas e charges, √© comum que a ‚Äúgra√ßa‚ÄĚ (ou o ""efeito de humor"") resulte de uma quebra de expectativa. O humor surge do inusitado. Textos como esses criam certa expectativa no leitor para, ao final, quebr√°-la, gerando efeito c√īmico. Muita aten√ß√£o quando algo que voc√™ n√£o estava esperando acontece, pois provavelmente a banca direcionar√° a quest√£o para essa quebra de expectativa.

Atenção aos mecanismos desencadeadores da quebra de expectativa
Os mecanismos linguísticos que mais comumente produzem quebras de expectativa em tirinhas e charges são:
Ambiguidade ‚Äď Trata-se de uma frase ou express√£o com dupla possibilidade de leitura. √Č comum, nas tirinhas e charges, sermos levados a acreditar que o sentido de determinada palavra, express√£o ou frase era um, quando, no final da leitura, acabamos por perceber que era outro. Na maioria dos casos, essa ambiguidade decorre de uma polissemia (capacidade natural de uma palavra de assumir muitos sentidos diferentes). Em casos como esse, a ambiguidade √© explorada para produzir a quebra de expectativa.
Ironia ‚Äď Em sentido estrito, ironia √© a afirma√ß√£o que pretende ser entendida pelo seu contr√°rio. Quando produzimos um enunciado ir√īnico, esperamos que ele seja entendido pelo oposto do que afirmamos. Isso, por si s√≥, j√° √© uma quebra de expectativa. Afinal, o que se espera habitualmente √© que os enunciados sejam interpretados literalmente.

Questione a tirinha/charge
Qual √© o tema da charge? A quais quest√Ķes pol√≠ticas, sociais ou culturais ela se refere? Quais discursos ou comportamentos t√≠picos da sociedade est√£o sendo criticados? Quais elementos concretos (cen√°rio, pessoas, gestos, a√ß√Ķes) est√£o retratados? Detalhes do contexto, como a fonte, o local e a data da publica√ß√£o, tamb√©m podem ajudar.

Fonte: UOL Educação

Postado em: 06/07/2018